Forte terremoto atinge a Cidade do México no aniversário do tremor de 1985

0

O México lembrou os 32 anos do pior terremoto de sua história vivendo o pesadelo de novo. Desta vez, o epicentro do abalo foi perto da superfície da Terra. Por isso, o número de mortes passa de cem e é provável que aumente.

O terremoto derrubou a fachada de prédios e deixou a população em pânico. Pior ainda: o terremoto derrubou prédios inteiros. Pessoas na rua estavam filmando um outro prédio. Comentaram que tinham visto paredes danificadas. Aí, de repente, ele caiu.

Os brasileiros André e Letícia moram na Cidade do México e estavam na rua quando tudo tremeu. Viram pela frente prédios inteiros em escombros.

André: Tinha gente lá dentro?
Letícia: Está cheirando a gás. Vamos embora.
André: A gente vai sair daqui, porque está cheirando a gás.

E descobriram que isso também aconteceu bem perto deles. “Esse é o nosso prédio. Um, dois. Esse já está quebrado. Poderia ter sido a gente”, disse André.

Pela internet, eles falaram do prédio vizinho que desabou. “Ao lado do nosso edifício, tem um prédio comercial com escritórios. Tem dentistas, tem todo tipo de serviço. Tinha muita gente trabalhando, então tem muitos mortos”, contou André.

“E a gente agora não pode entrar em casa”, disse Letícia.

Também contaram do pânico que viram pelas ruas.

“Saindo pela rua, em frente ao nosso prédio, via gente amputada. Muita gente chorando”, contou André.

“Completamente desesperadas, chorando muito”, afirmou Letícia.

Equipes de resgate estão vasculhando os escombros em busca de vítimas. Paredes caíram em cima de carros. A população correu para o abrigo mais seguro, o meio da rua.

Para muita gente, foi difícil acreditar que era verdade. Nesta terça-feira (19), exatamente faz 32 anos que um terremoto devastador atingiu a Cidade do México e matou milhares de pessoas. É por isso que todo ano o mês de setembro lá é dedicado a treinamentos sobre o que fazer em caso de terremoto.

Quando a terra tremeu, muita gente estava participando desses treinamentos. André conta que não houve alarme na hora do terremoto. “Aí hoje, às 11h, teve essa simulação, ninguém desceu, aí hoje teve esse terremoto que não deu tempo de soar o alarme”.

O epicentro foi na região central do México, na cidade de Raboso, no estado de Puebla, a 51 quilômetros de profundidade. O local fica cerca de 120 quilômetros da Cidade do México, ou seja: foi relativamente perto da capital.

E a região metropolitana da Cidade do México tem perto de 20 milhões de habitantes. Por isso, o número de vítimas é uma grande preocupação agora.

Na internet, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, fez um apelo à população: “É importante evitar circular por ruas e avenidas para permitir a passagem dos veículos de emergência”.

O México ainda estava se recuperando de um outro terremoto que aconteceu 12 dias atrás. Foi sentido na Cidade do México, mas com epicentro mais distante, no Oceano Pacífico, e atingiu com força regiões pobres do sul do país.

Pode levar dias até que todas as vítimas sejam localizadas e resgatadas. Muitos cidadãos estão ajudando nesse trabalho de resgate retirando escombros com as mãos.

Há relatos, por exemplo, de duas crianças soterradas na entrada de uma escola. O presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou que 27 prédios desabaram na Cidade do México, entre eles, pelo menos duas escolas.

O presidente estava sobrevoando o estado de Oaxaca, no Sul do país, que foi uma das áreas muito atingidas por esse terremoto do último dia 7 de setembro. Quando recebeu a informação sobre esse novo terremoto desta terça-feira (19), voltou imediatamente para a capital e sobrevoou também a Cidade do México.

O presidente convocou Comitê Nacional de Emergências para coordenar o socorro às vítimas e mandou esvaziar todos os hospitais que sofreram algum tipo de abalo e transferir os pacientes para lugares seguros.

Quase quatro milhões de pessoas estão sem energia elétrica no México. O Itamaraty informou, na noite desta terça, que, até o momento, não há informações sobre brasileiros entre as vítimas.

Dezenas de pessoas já foram resgatadas com vida dos escombros. O Jornal Nacional tem imagens que mostram o esforço, o trabalho dos bombeiros sobre edifício que desabaram. Agora, infelizmente já chega a 134 o número de mortos nesse terremoto.

O prefeito da Cidade do México, Miguel Mancera, disse que 44 prédios já foram identificados como destruídos ou seriamente danificados. Isso só na capital mexicana. Entre esses prédios, alguns residenciais, de apartamentos, uma escola, uma fábrica e um supermercado.

O colapso de todos esses prédios provocou vários pontos de vazamento de gás, inclusive as autoridades estão pedindo para que as pessoas evitem fumar nesses lugares. Até usar o telefone celular lá pode ser perigoso.

O aeroporto da Cidade do México chegou a ser fechado, mas não sofreu nenhum dano sério, já foi reaberto. Esse terremoto de magnitude 7,1 graus aconteceu um pouco depois das 13h, do horário local. Teve epicentro a 120 quilômetros da Cidade do México. As equipes de resgate devem passar dias ainda em busca das vítimas.

Share.

About Author

Leave A Reply